outubro 13, 2009

Holly

"Era a mulher a quem tinham sido dados conselhos por um jovem que amava, que se tinha empenhado e tentado ao máximo ajudá-la a curar-se. No tempo presente tinha um emprego que adorava e sentia-se confiante dentro de si para alcançar o que queria. Era uma mulher que cometia erros, que às vezes chorava numa manhã de segunda-feira, ou à noite sozinha na cama. Era um mulher que muitas vezes ficava aborrecida com a sua vida e achava difícil levantar-se de manhã para ir trabalhar. Era uma mulher que, na maior parte dos dias, se sentia com um aspecto horrível, que olhava para o espelho e perguntava a si mesma porque é que não se arrastava mais vezes até ao ginásio, era uma mulher que às vezes odiava o seu trabalho e se questionava por que motivo tinha de viver neste planeta. Era uma mulher que às vezes percebia mal as coisas.
Por outro lado, era uma mulher com um milhão de memórias felizes, que sabia o que era experimentar o amor verdadeiro e que estava pronta para experimentar mais vida, mais amor. Construir novas memórias. Que isso acontecesse em dez meses ou dez anos, Holly iria obedecer à última mensagem de Gerry. O que quer que estivesse à sua frente, sabia que iria abrir o seu coração e segui-lo para onde ele a levasse.
Entretanto, limitava-se a ir vivendo"

- In p.s. - eu amo-te -


Há amores que resistem e persistem, mesmo quando um dos dois parte. Gostava de ser tão forte como a Holly em alguns momentos... :(

Sem comentários: