setembro 30, 2006

Por amor...

Ora espreitem este post que nos elucida uma vez mais (caso tenhamos esquecido por qualquer motivo) do que é o amor. Ele chega sem avisar e por ele somos capazes de pôr toda uma vida em causa...porque simplesmente estamos a amar alguém e o que mais queremos é ser felizes ao lado dessa pessoa. Sejemos nós um padre ou uma pessoa comum e tenhamos que renunciar à Igreja ou a uma vida construída ao longo de anos; se não deixarmos o amor vencer, não conseguiremos ser felizes! Poque quando amamos...tudo vale a pena e tudo é possível!

Injustiças injustas... Ou injustiças justas... Pesamos os pratos da balança e assim reflectimos sobre o que nos acontece todos os dias. Será que o sofrimento que nos é embutido pelos acontecimentos mais marcantes, mas também, mais difíceis de ultrapassar, será justo, do ponto de vista do que fizemos para o merecer e do ponto de vista do que faremos a seguir, tendo isto feito parte da nossa história de vida?! Queremos sempre acreditar (eu pelo menos...) que tudo tem uma razão de ser, tudo tem um motivo, e quanto mais não seja, nos proporciona uma apredizagem que de outro modo não realizaríamos. Por isso estejemos abertos às aprendizagem que todos os dias a vida nos oferece...por vezes, até gratuitamente!

O GRITO

O grito de silêncio dos que insistem em calar
O grito de vergonha dos que insistem em se esconder
O grito de medo dos que insistem em abafar
Finalmente, o grito de verdade dos que querem vencer
E o grito de amor dos que simplesmente querem amar!

setembro 23, 2006



Eu não tenho filosofia, tenho sentidos...
Se falo na natureza não é porque a amo, amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama.
Nem sabe porque ama, nem o que é amar...
Amar é a eterna inocência
E a única inocência é não pensar.
(Fernando Pessoa)

setembro 21, 2006

Pode matar-se o sonho, mas nunca o sonhador! A vida continua e o caminho a percorrer, ain da que sinuoso, será mais uma lição de vida...e cá estou eu disposta sempre a aprender.

setembro 02, 2006

Cabelos Negros


Negros cabelos que cobrem o meu rosto
Ocultam o mais puro do meu ser.
Meus lábios que não têm os beijos
que me dão alento para viver.
Meu olhar que não encontra o teu
Minha alma que não sente os teus desejos
Porque o teu amor por mim morreu.
Negros cabelos que nos querem separar
Barreira invisível que quero transpor
Para poder continuar a sonhar
E em teus braços conhecer o amor.
Negros cabelos estes que me envolvem
me paralizam, me aniquilam, me devolvem
à realidade que mata lentamente
esta minha veia de sonhador
que me deixa correr o céu livremente!

setembro 01, 2006


Que o amor te inspire nesta noite de Luar
E as estrelas cubram os teus sonhos de cor.
Que a brisa de susurre os segredos do mar
E te faça acreditar, eterno sonhador!