outubro 07, 2006

O tempo que não passa e se arrasta por mim...


São os ponteiros do relógio que não se mexem, os dias que não passam, o Sol que não se põe nem volta a nascer...os vultos do que somos que se arrastam pelo mundo, os olhares alheios que não vêem o que deviam ver, as bocas que repetem constantemente as mesmas palavras ocas, as mãos que tentam a custo, alcançar-te...mas em vão, porque tu estás longe, longe de mim e perto da minha solidão!

Sem comentários: