janeiro 26, 2011

Podias e eu podia

"Podias-me ensinar a viver com os pés na terra e eu ensinava-te a voar; tu explicavas-me como é que aprendeste a proteger o coração e eu explicava-te como é que o podes abrir sem o perder. Tu mostravas-me todas as vezes em que fui exagerada e eu contava-te todas as vezes em que foste condescendente e pouco sincero. Tu demonstravas-me como o planeta se pode salvar com energias alternativas e eu explicava-te como é que o Gabril García Márquez conseguiu enviar o manuscrito de Cem Anos de Solidão, quando nem dinheiro tinha. Tu mostras-me novas constelações e eu dava-te uma noite de Lua Cheia diferente de todas as que já tiveste.
Quando me perguntam porque é gosto tanto de ti, nunca falo do teu porte aristocrático, da tua delicadeza rara, do teu cuidado e atenção quando amas uma mulher. Também não falo dos teus defeito, que conheço melhor do que pensas, porque o que sinto por ti está acima de todas as tuas virtudes e de todas as tuas falhas."

Amo-te...mas jamais será suficiente

Sem comentários: