julho 04, 2005

TraDiçÃo

Chegou ao fim a Feira de S. João, o acontecimento cíclico mais importante de Évora. Porque a tradição é importante, vaguemos pelo passado. Esta feira faz parte da vida da cidade há cerca de 5 séculos e significa uma ruptura com o quotidiano eborense, pois enche-o de movimento, alegria e animação que contrasta com a quietude e a serenidade desta pequena grande cidade perdida no nosso Alentejo.

“A feira abriu com grande excitação. Todo o Rossio se iluminou de festa com fieiras de barracas, carrocéis, circos, stands de carros e máquinas agrícolas, tendas de doçaria, de fotocómico, tômbolas, jogos de argolinha, aparelhos de buena-dicha com variantes de passarinhos que tiram o papel de forças, solitárias vendedoras de água com uma bilha e um copo ao lado, vendedores de mantas, de escadas, de cestos – sob um céu duro de altifalantes e poeira e vibrações luminosas. Noite de S. João, noite cálida de bruxas e de sonhos.” (Aparição)

Hoje o cenário está diferente, com as devidas adaptações à actualidade, mas o que importa é a continuação desta tradição, que atravessou épocas bastante diversas e muitas e muitas gerações, por isso faz parte da história de todos os eborenses. E com certeza não foi fácil torná-la imune à passagem do tempo. Esperemos que o futuro proporcione as mudanças de que a feira precisa para se tornar um verdadeiro ponto de encontro e divertimento para todas as gerações, possibilitando a passagem do testemunho. Até pró ano!

Sem comentários: