maio 17, 2010

Magoaste-me...

porque eu deixei que me magoasses, porque me pus a jeito, porque, no fim de contas, tudo o que eu queria era sentir que já não havia hipóteses para não ter que lutar pelo impossível

Sem comentários: